Vídeos

Visitas

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Recebimento do Prêmio Vasconcelos Sobrinho 2015


Luiz Aleixo e Beth a vencedora do Prêmio Vasconcelos Sobrinho,
 categoria Personalidade de Meio Ambiente 2015


Luiz Aleixo, Beth, ...., Sérgio Xavier - Secretário Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco

Amigos de Beth da região do Agreste Pernambucano

Discurso de Elizabeth Szilassy na Entrega do Prêmio Vasconcelos Sobrinho como Personalidade do Meio Ambiente. 

Quero saudar todos que vieram me prestigiar  e/ ou enviaram mensagens, como também agradecer:
- a Deus, pela minha saúde, energia e disposição para lutar;
- a APIME Associação Pernambucana de Apicultores e Meliponicultores, pela minha indicação ao Prêmio, especialmente Lula do Mel e Alexandre;
-ao Gov. do Estado de PE, através da CPRH, pela organização do Prêmio Vasconcelos Sobrinho nestes 25 anos;             
- aos colegas, parceiros na SARA, PRORURAL, IPA, SEMAS, CPRH, ONGs como a ANE e o projeto Águas de Areia;
- a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, também premiada, e demais vencedores desta  ediçao do Prêmio V S;
Quero dedicar este prêmio as pessoas das entidades de Brejo da Madre de Deus que tem me apoiado nos trabalhos nos últimos 15 anos: o Sindicato dos Trabalhadores Rurais; a Prefeitura do Brejo da Madre de Deus, especialmente a Secretaria de Agricultura; o IPA; o CONDESB; CONDEMA; as Associações e aos Agricultores Familiares. Sem o apoio deles, não teria sido possível o andamento dos trabalhos, pois que sempre atuei em equipe. 
Ouvi falar primeiro em Vasconcelos Sobrinho pelos Preceitos de Padre Cícero, divulgados pela Estação Ecológica de Tapacurá da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Tenho com um cartaz original dos anos 80 com a colaboração do MAKRO, pendurado num quadro na sala da minha casa.
Depois pelo livro escrito por ele: O Catecismo da Ecologia. O saudoso Padre Pedro Aguiar de Brejo da Madre de Deus / Caruaru / Tacaimbó tinha uma cópia deste livro. Gostaria de adquirir uma cópia, ou sugerir a re edição deste livro.  Também gostaria de sugerir a homenagem póstuma de Padre Pedro ao Prêmio, pois era defensor do meio ambiente nos trabalhos pastorais com as Comunidades Eclesiais de Base no Agreste de Pernambuco durante mais de 40 anos.
Por último, por Maurício, técnico do Escritório Local do IPA do Brejo me informou que o Vasconcelos Sobrinho era professor dele quando era estudante na UFRPE nos anos 70, quem ele admirava muito.
Sinto-me orgulhosa de continuar nesta linha de pessoas e entidades que foram agraciadas ao longo destes 25 anos, pela atuação em prol do meio ambiente. 
Vejo a defesa do meio ambiente como fundamental para a nossa vida no planeta. A minha família no Canadá, especialmente o meu pai, agricultor, criado no leste europeu, durante a depressão econômica dos anos 30 e a Segunda Guerra Mundial; ele sempre reclamou do desperdício da sociedade moderna, e do consumismo de produtos supérfluos. O meu avo me incentivou nesta visão do mundo quando comprou um livro para mim da ONG Amigos da Terra que divulgava o Dia Mundial da Terra, quando foi instituído em 22 de abril de 1970.  Nos anos 60 e 70 durante a minha formação no ensino fundamental e médio, a matéria de Ciências Ambientais começou ser incluída no currículo escolar, com a qual tive afinidade. Só não cursei Ciências Ambientais na universidade porque optei pelo curso de Agronomia, com que também tinha afinidade por ser criada na zona rural, trabalhando na agricultura desde a infância (não foi exploração de trabalho infantil).
Cheguei ao Brasil em 1983 para servir como voluntária no interior de Pernambuco com uma ONG da Igreja Menonita, a AMAS Associaçao Menonita de Assistência Social, por um contrato de três anos.  Acabei optando para continuar, renovando o contrato nove vezes, atuando como agente de desenvolvimento rural com agricultores familiares no Agreste de Pernambuco, em Bom Jardim (três anos), Tacaimbó (catorze anos) e por último, Brejo da Madre de Deus, onde estou há quinze anos.
Nestes trinta e dois anos, atuei em muitas frentes do Desenvolvimento Sustentável com várias temáticas: a Convivência com o Semiárido, o Combate à Desertificação, o desenvolvimento de recursos hídricos, a Produção Orgânica / Agroecológica, a Apicultura e Meliponicultura, o incentivo a proteção do meio ambiente através da realização de 15 Feiras do Verde em Brejo da Madre de Deus. Embora enfrentemos várias dificuldades e desafios (burocráticas), sempre contamos com o apoio dos parceiros locais. Só temos a agradecer a todos pelo apoio.
Recentemente iniciamos a execução do CAR Cadastro Ambiental Rural, um instrumento de conscientizar os agricultores da importância de cuidar do meio ambiente.  

Que o Prêmio Vasconcelos Sobrinho sirva como incentivo para todos nós continuar na luta pela Defesa do Meio Ambiente. 

Um comentário:

  1. DE: Maria Auri Ferreira
    PARA: Apime

    Premiação muito merecida para Beth. Uma pessoa seriamente comprometida e engajada com as causas ambientais. Parabéns para a Apime pela grandeza da indicação. Parabéns para Lula do Mel que está um Lorde nessas fotos. Lula é um Lorde!

    ResponderExcluir

Umburana - "Pau de Abelha" - Proteger a umburana é conservar as abelhas nativas

Umburana - "Pau de Abelha" - Proteger a umburana é conservar as abelhas nativas
Uma jovem planta de umburana de cambão