Vídeos

Visitas

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

APIME participa de Inauguração da Requalificação do Jardim Botânico do Recife

Durante a solenidade, a Secretaria de Meio Ambiente do Recife, Cida Pedrosa, ao se dirigir ao Prefeito Geraldo Júlio, em suas primeiras falas do cerimonial citou o trabalho de educação ambiental que naquele espaço se desenvolvia com as abelhas nativas, realizado pela APIME, uma entidade parceira do Jardim Botânico e que em seu  nome saudava a sociedade civil ali presentes.
 
O prefeito Geraldo Júlio nas suas saudações, da mesmo forma, se dirigiu a APIME  para saudar a sociedade civil,  ali presente na inauguração da requalificação do Jardim Botânico do Recife (JBR).
 
 
 
Abaixo matéria da Prefeitura do Recife

Recife ganha Jardim Botânico repaginado e com novos atrativos


Prefeito Geraldo Julio inaugurou revitalização do equipamento nesta segunda-feira (16). (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)
 
O Recife agora conta com um espaço ambiental, que agrega lazer, ciência e educação, totalmente estruturado para receber turistas e moradores. O prefeito Geraldo Julio inaugurou, nesta segunda-feira (16), a requalificação do Jardim Botânico (JBR), localizado no km 7,5 da BR 232, no Curado. Com um investimento de mais de R$ 2 milhões, o equipamento ganhou três jardins, áreas de exposição para cactos e bromélias, um núcleo de educação, três atrativos revitalizados, além de uma nova entrada e um posto da Brigada Ambiental. O espaço é um dos últimos remanescente de Mata Atlântica na cidade e já está aberto a visitações para estreitar os laços das pessoas com a natureza.
 
Acompanhado pela a primeira-dama do Recife, Cristina Mello, o prefeito percorreu as instalações do JBR e destacou o cuidado com que as obras foram realizadas. “A cada pequeno capítulo que a gente foi vendo ao entrar no Jardim Botânico, percebemos o carinho com que foram feitas as obras, os jardins, a entrada, a pintura. Tudo aqui foi feito pensado na acessibilidade, para que o cadeirante pudesse entrar nos locais. Se conseguirmos fazer as coisas que precisamos com o mesmo amor que foi feito no Jardim Botânico, estaremos fazendo muito bem à nossa cidade”, frisou Geraldo Julio.
Uma das principais mudanças do parque está na sua entrada. Uma área de três hectares foi transformada em local de contemplação, com grama e bosques formados por palmeiras, plantas ornamentais e arbustivas, além do nome do Jardim Botânico em relevo. Essa frente também servirá para integrar o equipamento à vivência cultural do município. Isso porque ela foi projetada para abrigar exposições de arte que precisam de lugares amplos, como no caso de esculturas. Para facilitar o acesso, o local dispõe de caminhos em concreto atravessando a vegetação rasteira.
 
A Secretaria de Meio Ambiente também implantou os jardins de Plantas Medicinais, Palmeiras e Flores Tropicais. O primeiro logo se vê ao ultrapassar os portões de entrada. Ele abriga espécies utilizadas tradicionalmente na prática de cura, prevenção e tratamento de doenças. Já o segundo possui cerca de 20 tipos diferentes de palmeiras, que ocorrem tanto naturalmente nas florestas brasileiras como são trazidas de outros países. As nativas ficam próximas à mata e as exóticas, separadas por um passeio. As disposições foram pensadas para não interferir na preservação da reserva.
Plantas Medicinais, Palmeiras e Flores Tropicais fazem parte do acervo do Jardim Botânico. (Foto: Andréa Rêgo Barros)
 
De cores fortes e beleza rara, as flores tropicais chamam a atenção de quem passa próximo à administração do parque. Os canteiros reúnem cerca de 20 exemplares, entre dracenas, helicônias, marantas. Ao lado desse jardim, está o EcoNúcleo, uma unidade de Educação Ambiental, onde serão realizadas atividades para despertar a consciência ecologia em crianças, jovens e até adultos. O núcleo possui um laboratório com diversos aparelhos, que atendem tanto aos visitantes quanto aos pesquisadores da secretaria.
“Nós acreditamos que uma área verde só consegue ser preservada realmente se a população se apossar dela, ou seja, se as pessoas se sentirem donas do espaço, como no Parque da Jaqueira. Por isso, preparamos o Jardim Botânico para que ele passasse a fazer parte da vida dos recifenses”, ressaltou a secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Cida Pedrosa.
Três jardins, áreas de exposição para cactos e bromélias, um núcleo de educação e um posto da Brigada Ambiental estão à disposição dos visitantes. (Foto: Andréa Rêgo Barros/ PCR)






COLEÇÕES CIENTÍFICAS – Ainda foram construídos os espaços para expor as coleções científicas de cactos e de bromélias. Esse acervo tem a importante função de preservar a bio diversidade local – antes as plantas ficavam simplesmente dispersas no chão. A coleção de bromélias agora ocupa uma área de 360 m2, com bancadas em granito e rampas de acesso para cadeirantes. Lá, estão à mostra mais de 100 espécies inventariadas e registradas em catálogo nacional. Entre elas, destaca-se a Vriesea limae (Smith), que só encontrada em Pernambuco.
Quanto ao conjunto de cactos, ele ganhou um abrigo com bancadas amplas e um teto especial, que permite a passagem do sol para as plantas. A coletânea é composta por cerca de 20 espécies diferentes, que variam de grande a pequeno porte. Além da casa nova, as plantas receberam cuidados especiais para melhorar a vitalidade e resguardar o patrimônio genético. As cactáceas estão ao lado da área de apoio do viveiro florestal, onde serão minitradas aulas de jardinagem.

AMBIENTES REFORMADOS – Dos antigos atrativos do Jardim Botânico, foi o orquidário quem passou pela maior mudança. Teve a estrutura toda reformada, com melhorias na bancada, gradil, substituição de teto, pintura, construção de um deck ao redor, com área de contemplação e um pequeno mirante. E para alegria dos aficionados pelas flores, mais espécimes foram adquiridas. O acervo possui mais de 250 exemplares e tem caráter científico. Vale um olhar mais atento para a Cattleya Labiata (Lindlley), que está em vias de extinção.
O acervo possui mais de 250 exemplares de flores e tem caráter científico. (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)
 
 
Outro local beneficiado pela iniciativa foi o Jardim Sensorial, que tem o objetivo de proporcionar às pessoas, especialmente aos cegos, a descoberta das nuances da natureza através do cheiro, do toque, e do som ambiente. Aqui, os trabalhos se concentraram na recuperação dos expositores e na renovação das espécies. Ainda foi revitalizado o antigo meliponário, um criatório de abelhas brasileiras localizado na área interna da mata. Essas abelhas não possuem ferrão e são consideradas fundamentas na polinização das plantas. Toda área do JBR recebeu novas placas de sinalização para melhor orientar as pessoas.
FUNCIONAMENTO – A partir de janeiro, o Jardim Botânico do Recife terá seu funcionamento ampliado, abrindo aos sábados e domingos, das 9h às 15h30. Durante a semana, ele receberá os visitantes de terça a sexta, das 8h30 às 15h30. Como forma de estimular a visitação, a Prefeitura do Recife organizará passeios gratuitos à reserva ambiental, com ônibus saindo do Parque da Jaqueira, na Zona Norte da cidade. A ação ocorrerá durante os finais de semana de janeiro e fevereiro, exceto no primeiro fim de semana de 2014.

Serviço
Jardim Botânico do Recife
Funcionamento: de terça a sexta, das 8h30 às 15h30.
(A partir do segundo final de semana de janeiro) Sábado e Domingo, das 9h às 15h30.
Endereço: BR-232, Km 7,5 – Curado, Recife – PE
Telefones: 3355.0002 / 3355.0003

Atrativos do Jardim Botânico
1. Trilhas ecológicas
2. Orquidário
3. Jardim Sensorial
4. Jardim de Flores Tropicais
5. Jardim de Plantas Medicinais
6. Jardim de Palmeiras
7. Meliponário
8. Viveiro Florestal
9. Coleção de Cactáceas
10. Coleção de Bromélias
11. Núcleo de Educação Ambiental

O que usar e levar nas visitações
1. Vestir roupas leves e calça comprida
2. Usar meias e sapato fechado
3. Colocar repelente e chapéu
4. Levar lanche e água, pois não há comércio na área do parque.
 
 
Acompanhado pela a primeira-dama do Recife, o prefeito destacou o cuidado com que as obras foram realizadas. (Foto: Andréa Rêgo Barros/ PCR)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Umburana - "Pau de Abelha" - Proteger a umburana é conservar as abelhas nativas

Umburana - "Pau de Abelha" - Proteger a umburana é conservar as abelhas nativas
Uma jovem planta de umburana de cambão